PATRIMÓNIO CULTURAL

CIART

O Complexo de Arte Rupestre do Vale do Tejo é um dos mais importantes conjuntos de arte pós-paleolítico da Europa, constituído por mais de 20 mil gravuras dispersas ao longo de 40 km de ambas as margens do rio Tejo. O Centro de Interpretação de Arte Rupestre do Vale do Tejo tem como principal missão apoiar o estudo e a preservação deste vasto património arqueológico, divulgando-o ao público através de uma exposição permanente, onde se interpretam as diversas expressões culturais dos habitantes pré-históricos do vale do Tejo.

CARACTERÍSTICAS

Encontra-se encerrado para remodelação.

PATRIMÓNIO CULTURAL EM VILA VELHA DE RÓDÃO

CIART

O Centro de Interpretação de Arte Rupestre do Vale do Tejo (CIART) foi
inaugurado em 2012 e tem como principal missão apoiar o estudo e a
preservação do Complexo de Arte Rupestre do Vale do Tejo.
Descoberto a partir de finais de 1971, o Complexo de Arte Rupestre do Vale
do Tejo foi alvo de várias campanhas de salvamento arqueológico até à sua
quase completa submersão, em 1974, devido à construção da barragem
do Fratel. Estas campanhas produziram mais de 1500 moldagens em
latex, principal técnica de registo utilizada para a obtenção de réplicas das
gravuras, e um grande corpo documental e fotográfico.
Na exposição permanente do CIART é apresentado um enquadramento
geológico e geomorfológico da paisagem, sendo os visitantes informados
sobre a vida no tempo dos caçadores-recoletores e sobre as diferentes
manifestações da arte rupestre na zona. Do Neolítico e Calcolítico até aos
dias de hoje, os visitantes são levados numa viagem pelo tempo e pelo
espaço de uma região singular.
O CIART assume-se ainda como uma homenagem a uma geração de
arqueólogos e estudantes, cuja dedicação e zelo garantiram a catalogação
e preservação deste património.

CIART
R. Dr. José Pinto Oliveira Rocha 20
6030-214 Vila Velha de Rodão

T: +351 963 445 866 (Chamada para a rede móvel nacional)
www.tejorupestre.com